“Disse Nabal aos mensageiros de Davi: há muitos servos hoje que fogem aos seus senhores” (I Samuel 25: 10 a 17).

31/03/2012 17:12

 

Esta é uma história de três personagens principais: Davi, Nabal e Abigail. Cada um com suas peculiaridades e atos que tem muito a contribuir para nosso crescimento espiritual. Portanto, conheceremos mais de perto para retirarmos lições proveitosas para nossos relacionamentos interpessoais.

            A história pode ser sumariada da seguinte maneira. Nabal era homem próspero na região do Carmelo em Israel. Era intempestivo e muito rude no trato com as pessoas. Casado com Abigail mulher dócil e sábia, ambos formavam a antítese em sua melhor forma. A riqueza do homem se concentrava no número de ovelhas que possuía, diz a Bíblia que tinha três mil ovelhas, as quais estavam sendo apascentadas por seus empregados na região montanhosa e se preparavam para a tosquia.

            Davi se encontrava na região com seus homens fugindo do rei Saul que procurava matá-lo. Enquanto permaneceu no local guardou as ovelhas de Nabal até o momento de tosquiar os animais. Costumeiramente em Israel se costumava na época da tosquia o proprietário do rebanho presentear seus amigos e vizinhos com a carne de seu gado.

            O fugitivo Davi resolveu aproveitar a ocasião e enviar mensageiros a Nabal contando tudo que tinha feito pelos seus pastores e o rebanho e, dessa forma pedir comida para alimentar sua tropa. Os mensageiros da Davi relataram tudo a Nabal que respondeu duramente e se negou dar qualquer contribuição ao bando.

            Retornando os mensageiros relataram tudo que tinha ouvido, de maneira que a ira de Davi se acendeu e ordenou a 400 de seus homens que se cingisse com a espada e jurou: “Faça-me o Senhor o que quiser se amanhã a esta hora não tiver eu matado todos do sexo masculino da casa de Nabal”. E marchou em direção ao destino proposto.

*Aplicações do texto:

1. Não faça o bem de olho na recompensa: Comumente encontramos pessoas ou até mesmo nós mesmos realizando boas ações de olho no retorno ou troca de benefícios. Foi o que Davi fez, ele protegeu o rebanho de Nabal visando um presente de mantimentos em troca.

            Tirar proveito de situações somente por alguma boa ação feita é errado. A Bíblia diz: “Tudo que formos fazer seja em obras ou palavras, devemos fazer como para o Senhor” (        ). Oportunistas não fazem o bem pelo bem, mas pelo lucro, pela vantagem que pode tirar do momento. Como cristãos somos desafiados ao desinteresse capitalista, ou seja, a caridade como produto de auto promoção.

*Motivos para se fazer o bem:

1.1. Faça o bem porque é bom. O Senhor Jesus disse: “O homem bom do bom tesouro do seu coração tira o bem” (    ). O principal motivo de nossas boas obras é o fato de termos sido criados em Cristo para isso, leia: “Pois somos feituras suas, criados em Cristo Jesus para as boas obras as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2:10). Certamente você se sentirá feliz em fazer a coisa certa.

1.2. Faça o bem porque é certo. Nós brasileiros estamos acostumados a fazer trambiques e falcatruas para tirar vantagens desonestamente sobre os outros, o resultado é uma falta de confiança generalizada. E muita burocracia ou altos gastos com mecanismos que garantam o caráter ilibado do negócio ou transação. Como filhos de Deus Bondoso, temos de sentir prazer e fazer o bem como a coisa certa a ser feita. Não interessa o que o mundo diz, nossas consciências devem está convencidas de que é melhor fazer a coisa correta sempre. E não porque é mais fácil fazer o mal.

1.3. Faça o bem pela necessidade. Este mundo está corrompido, o mal prevalece em todas as esferas das relações humanas. Ninguém se importa com o bem estar alheio, daí a necessidade de se fazer o bem é muito maior. Aproveite a ocasião em que se necessita de você e aja de acordo com o bem necessário. Davi entendeu que a ocasião era propicia para fazer o bem, nisso ele acertou, porém, errou porque o fez querendo algo em troca. A Bíblia adverte: “Aquele que sabe fazer o bem e não faz está pecando” (Tiago   ).

2. Não pague o bem com o mal: Nabal pagou o bem que Davi lhe tinha feito com o mal. Sua resposta foi tão dura que não bastasse negar o mantimento, ainda ofendeu Davi e acusou de ladrão. Quando disse que muitos são os escravos que fogem dos seus senhores, Nabal se referia a Davi como um fora da lei, um bandido e, portanto, o desprezou. Sua ofensa se baseou no fato de que não devia nada a Davi, pois não tinha lhe pedido nada, nem tampouco, o contratara.

            Verdade que Nabal não pediu que Davi cuidasse do seu rebanho, no entanto, não havia motivos de ser tão rude com aquele que só lhe fizera o bem. Esta é uma atitude de ingratidão, uma incapacidade de enxergar o valor do outro ou do seu serviço. Fica aqui um conselho. Olhemos melhor para aquelas pessoas que nos servem ou abençoam durante o dia e que nós muitas vezes não as percebemos. Exemplos: a cozinheira, o padeiro, o assento cedido, a toalha entregue no banheiro, o porteiro, etc.

            Lembrete especial: todo bem que é pago com o mal atrai um mal maior ainda. Davi ficou tão furioso com a resposta daquele tolo que resolveu se vingar matando todos os homens de sua casa. Veja que desgraça atraiu para si e para todos os que com ele conviviam – a morte. Meus irmãos, o mal se paga com o bem e o bem com um bem maior.

3. Não se vingue, mas dê lugar a ira de Deus: O que encontramos aqui é erro por cima de erro. Davi se enfureceu e resolveu matar seu ofensor. Agir de cabeça quente só dá nisso, vingança e precipitação. A Palavra de Deus condena enfaticamente a vingança, antes assim recomenda: “Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas, dai lugar a ira. Pois Ele diz: Minha é a vingança, eu a retribuirei” (Romanos 15:   ).

            Não suje suas mãos, tampouco os lábios, mas entregue a Deus que é vingador de toda injustiça. Davi se apressou em agir por si mesmo, mas Deus já tinha preparado a recompensa de cada um. Enquanto ele tido como homem de Deus corria para a retaliação, Abigail, mulher sábia corria ao seu encontro para consertar o erro de seu marido tolo e impedir o futuro rei de derramar sangue de pessoas inocentes.

            A melhor resposta que podemos dar diante da ofensa é orar. Orar é entregar nas mãos d’Aquele que tudo vê e tudo pode. Esteja preparado para sofrer o dano porque é melhor do que causar, principalmente por termos o Deus que odeia injustiça como Senhor. O apóstolo Paulo orienta: “Porque vocês não sofrem o dano?” esteja certo de que quando Deus se vinga, Ele o faz da melhor forma possível e ainda exalta o ofendido. Nabal pagou por todas as suas crueldades sem que ninguém sujasse as mãos com ele, pois dez dias depois morreu de infarto.

4. Seja um Conciliador em nome do bem: Esta é a contribuição de Abigail no episódio, ser conciliadora em nome do bem. Ela não defendeu seu marido nem provocou Davi, pelo contrário, posicionou-se em favor do bem para ambas as partes. Sua argumentação instou com Davi de maneira que ele reconheceu: “Bendita sejas tu do Senhor que me impediu hoje de derramar sangue”. E só relatou ao seu marido o ocorrido um dia depois que os ânimos estavam acalmados.

            Nosso Senhor disse: “Benditos os pacificadores (ou aqueles que constroem a paz) porque herdarão a Terra” (Mateus 5:  ). Esta é nossa missão, construir paz por onde andarmos, aproximar as mãos e promover o bem. Construir paz é também amenizar as tensões entre as pessoas.

—————

Voltar



Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!